Conecte-se conosco

Ciência e Tecnologia

Buraco na camada de ozônio é o menor desde 1988, afirma Nasa

Avatar

Publicado

em

Como base em observações realizadas por meios de satélites, a Agência Aeroespacial dos Estados Unidos (Nasa), comunicou que o buraco na camada de ozônio foi o menor já registrado desde 1988. Contudo, a Nasa diz que essa situação ”excepcional”, não necessariamente é sintoma de uma ”cura rápida”.

Isso se deve a variações naturais, já que a camada esteve fortemente influenciada por condições instáveis e mais quentes do que o normal no vórtice da Antártida, um sistema de baixa pressão que diminuiu a criação de nuvens polares estratosféricas, precursoras de elementos que destroem o ozônio.

Foto: reprodução

A extensão máxima do buraco em 2017 – atingida em setembro – foi de 19,6 milhões de quilômetros quadrados (2,5 vezes a superfície dos Estados Unidos), segundo os cálculos da agência espacial, corroborados pela Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA), enquanto o tamanho médio desde 1991 foi de 26 milhões de quilômetros quadrados. Apesar da diminuição, o buraco continua em tamanho considerável.

Detectado em 1985, o buraco levou a comunidade internacional a adotar medidas de diminuição e controle de substâncias prejudiciais à camada de ozônio, A expectativa é que até o ano de 2070 o buraco volte às condições de 1980.

A camada de ozônio (O3) é uma camada de gás que envolve a Terra, localizada na estratosfera. Ela protege o planeta e os seres vivos das radiações solares, extremamente nocivas à vida na Terra. O buraco na camada se forma na Antártida no fim de cada inverno no Hemisfério Sul.

*Com informações da fonte: Exame

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Amazonas

Pazuello diz que vacinação contra a Covid-19 no país começa nesta segunda

Avatar

Publicado

em

Por

O Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse nesta segunda-feira (18) que a vacinação contra a Covid-19 será iniciada a partir das 17h em todo o país. O anúncio foi feito após ele sofrer pressão dos governadores, que pediram para antecipar o início da aplicação das doses, inicialmente previsto para esta quarta-feira (20), conforme informou a colunista Andréia Sadi.

Neste domingo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso emergencial das vacinas CoronaVac e da Universidade de Oxford contra a Covid-19. Momentos depois, o governo de São Paulo aplicou a primeira vacina da CoronaVac. O governo federal, no entanto, ainda não havia iniciado a distribuição do imunizante pelo país, o que foi programado para esta segunda.

O horário de 17h para o início da vacinação nacional foi proposto, segundo Pazuello, para dar tempo de todos os estados receberem as doses da CoronaVac, vacina do Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Veja divisão das doses da CoronaVac para cada estado:

Região Sul

  • Paraná – 242.880
  • Santa Catarina – 126.560
  • Rio Grande do Sul – 311.680

Total de doses – 681.120

Região Centro-Oeste

  • Mato Grosso do Sul – 61.760
  • Mato Grosso – 65.760
  • Goiás – 182.400
  • Distrito Federal – 105.960

Total de doses – 415.880

Região Norte

  • Rondônia – 33.040
  • Acre – 13.840
  • Amazonas – 69.880
  • Roraima – 10.360
  • Pará – 124.560
  • Amapá – 15.000
  • Tocantins – 29.840

Total de doses – 296.520

Região Nordeste

  • Maranhão – 123.040
  • Piauí – 61.160
  • Ceará – 186.720
  • Rio Grande do Norte – 82.440
  • Paraíba – 92.960
  • Pernambuco – 215.280
  • Alagoas – 71.080
  • Sergipe – 48.360
  • Bahia – 319.520

Total de doses – 1.200.560

Região Sudeste

  • Minas Gerais – 561.120
  • Espírito Santo – 95.440
  • Rio de Janeiro – 487.520
  • São Paulo – 1.349.200

Total de doses – 2.493.280

Fonte: G1

Continue lendo

Amazonas

Ministro da Saúde define data para o dia “D” da vacinação contra o Coronavírus

Avatar

Publicado

em

Por

Em reunião com cem prefeitos nesta quinta-feira, dia 14, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou que o início da vacinação contra a Covid-19 será na próxima quarta-feira, dia 20, às 10 horas. A informação foi transmitida pelos mandatários que cobravam do ministro a definição de qual seria o “dia D” e a “hora H” propalada pelo ministro na última segunda-feira, dia 11, em Manaus, que está sofrendo com a segunda onda da pandemia.

O cronograma ainda depende da aprovação da Agência Nacional de Vigilância (Anvisa) que vai analisar o uso emergencial das vacinas CoronaVac e Astrazeneca neste domingo, dia 17. Os dois imunizantes é o que estão em fase mais avançada para aprovação, segundo os prefeitos.

Pelo cronograma divulgado, seriam 8 milhões de doses em janeiro e 30 milhões de doses em fevereiro.

Fonte: Veja

 

Continue lendo

Ciência e Tecnologia

Nova lei do Fust é sancionada e levará internet a locais sem acesso

Avatar

Publicado

em

Por

Foto: Minicom

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que atualiza as possibilidades de uso do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) para permitir que as políticas governamentais de telecomunicações possam ser financiadas com esses recursos.

Criado originalmente para a difusão da telefonia fixa, o dinheiro do Fust agora poderá financiar projetos que promovam a democratização da internet e de novas tecnologias.

O projeto de lei tramitou por 13 anos nas Casas Legislativas e, com a atuação do Ministério das Comunicações, foi aprovado pelo Senado, com 69 votos a favor e um contrário, no último mês.

De acordo com o ministério, com a mudança nas regras, o Fust poderá ser usado para ampliar ou implantar serviços de conexão, proporcionando, entre outros, o acesso à internet a pecuaristas, agricultores, escolas rurais e famílias de baixa renda que, hoje, não têm acesso à internet.

Com a nova Lei, o Fust poderá ser usado não apenas na melhoria da qualidade das redes e serviços, mas na redução de desigualdades regionais em telecomunicações e na promoção do uso de novas tecnologias de conectividade. Tanto serviços prestados em regime público quanto privado poderão receber recursos do fundo.

Para o ministério, um dos setores mais beneficiados será o agronegócio, uma vez que produtores passarão a contar com a modernização do cultivo, manejo e colheita com a ajuda de sistemas dependentes da internet.

“O Fust poderá levar internet aos produtores que estão em regiões distantes dos grandes centros urbanos e criar fazendas inteligentes, com o uso de tratores autônomos, drones e colheitadeiras interligados a redes sem fio. Além de favorecer uma ampliação significativa da produção agropecuária, a modernização no campo vai gerar milhões de empregos diretos e indiretos”, comemorou o Ministro das Comunicações, Fábio Faria.

Investimento

Quanto à modalidade de financiamento, parte das receitas anuais do Fust poderá ser aplicada na forma de apoio não reembolsável, ou seja, o dinheiro será destinado a investimento em telecomunicações. Há também a forma reembolsável, em que agentes financeiros, como o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), poderão utilizar recursos do fundo para realizar operações de créditos para financiar projetos em telecomunicações.

A lei prevê ainda a criação de um fundo garantidor. Assim, pequenos provedores, que não possuem bens para dar em garantia e, com isso, têm dificuldade para conseguir financiamentos, terão o amparo do Fust para ter acesso a linhas de crédito.

Conselho Gestor

O texto sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro prevê a criação de um Conselho Gestor para o Fust, vinculado e presidido pelo Ministério das Comunicações, com o intuito de garantir agilidade na implementação das políticas públicas voltadas à ampliação da infraestrutura e à expansão dos serviços.
O Conselho Gestor será composto por um representante de cada um dos seguintes ministérios: Comunicações; Ciência, Tecnologia e Inovações; Economia; Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Educação; Saúde. Também haverá um representante da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e dois das prestadoras de serviços de telecomunicações (um deles das prestadoras de pequeno porte), além de três integrantes da sociedade civil.

Fust

O Fundo foi instituído pela Lei n° 9.998, de 17 de agosto de 2000, com o objetivo de universalizar os serviços de telecomunicações em regiões que, por motivos como baixa densidade demográfica, baixa renda da população, inexistência de infraestrutura adequada ou outros, não oferecem taxa de retorno viável para investimentos das empresas do setor.

As principais receitas que compõem o fundo são a contribuição de um por cento sobre a receita operacional bruta, decorrente de prestação de serviços de telecomunicações nos regimes público e privado e as transferências de recursos provenientes do Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel).

 

*Com informações do Ministério das Comunicações.

*Edição: Kelly Oliveira/Agência Brasil

Continue lendo

Facebook

Propaganda
Propaganda
Propaganda

Mais Lidas

Copyright © 2020 Portal do Minuto. Todos Direitos Reservados. Portal - Manaus