Conecte-se conosco

Brasil

Caso Vitória: Laudo do IML confirma que menina tentou se defender antes de morrer

Avatar

Publicado

em

Caso Vitória Gabrielly

O laudo do Instituto Médico Legal (IML), divulgado na noite desta terça-feira (26), confirmou que a adolescente Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, tentou se defender antes de ter sido assassinada, em Araçariguama (SP).

De acordo com o documento, que diz que a garota morreu por asfixia mecânica traumática por estrangulamento, foram identificadas no corpo da adolescente “lesões de defesa e marcas de contenção, que sugerem que a vítima foi contida por instrumento contundente”.

O laudo também atestou que a menina apresentava lesões internas na musculatura do pescoço, que comprovam a asfixia mecânica por estrangulamento.

O corpo estava em estado avançado de decomposição, o que não permite confirmar se houve abuso sexual ou não. O documento técnico também aponta que Vitória não tinha consumido droga ou medicação. Ainda segundo o laudo do IML, a morte da garota foi por “meio cruel”.

Em entrevista à TV TEM, a mãe, Rosana Magalhães, disse que aguarda o trabalho da polícia e a identificação do responsável pelo crime. “Eu espero Justiça não só para minha filha, mas para todo mundo que já sofreu. A Justiça vem de Deus”, afirmou.

Carro em vídeo

A Polícia Civil também está à procura de um carro de cor escura que teria sido usado para transportar a adolescente no dia em que ela saiu para andar de patins e desapareceu.

O veículo aparece nas câmeras de segurança, perto do local onde o corpo da menina foi encontrado, ao lado dos patins, às margens de uma estrada rural, no bairro Caxambu, oito dias após o desaparecimento.

Até agora, três carros já passaram por perícia, mas nenhum indício de que a vítima esteve neles foi encontrado. De acordo com o tio de Vitória, dois adolescentes prestaram depoimento dizendo que viram a menina conversando com um homem perto de um veículo.

O servente de pedreiro, que está preso temporariamente por ter dado seis versões diferentes sobre o caso, contou à policia que Vitória foi levada por um casal que seguiu de Mairinque até Araçariguama para cobrar uma dívida de tráfico de drogas. No dia em que ela desapareceu, o carro do casal estava na oficina. A dupla já foi ouvida pela polícia diversas vezes e, em seguida, liberada.

Tanto o casal como o servente de pedreiro foram levados para o Instituto Médico-Legal (IML) para colher material genético, que vai ser comparado com amostras colhidas nas roupas, em cordas usadas para amarrar a menina e nos patins dela.

*Fonte: Portal G1

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Amazonas

CPI da Covid: Omar Aziz é eleito presidente; Randolfe Rodrigues, vice; e Renan Calheiros, relator

Avatar

Publicado

em

Por

O Senado instalou nesta terça-feira (27) a CPI da Covid, Comissão Parlamentar de Inquérito responsável por apurar ações e omissões do governo federal e eventuais desvios de verbas federais enviadas aos estados para o enfrentamento da pandemia.

Durante a sessão, o senador Omar Aziz (PSD-AM) foi eleito presidente, e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente. Em seguida, Omar Aziz indicou Renan Calheiros (MDB-AL) relator dos trabalhos.

Com a definição dos três senadores, prevaleceu o acordo feito pela maioria dos parlamentares da CPI, que reuniu as maiores siglas (MDB, PSD), a oposição e independentes. Aliados do governo tentaram impedir que Renan assumisse a relatoria.

Em negociações prévias, senadores que compõem a CPI querem iniciar os trabalhos apurando o processo de aquisição de vacinas contra o coronavírus.

Estão na mira, principalmente, as negociações com a farmacêutica Pfizer, que em agosto do ano passado ofereceu ao governo brasileiro 70 milhões de doses da vacina com previsão de entrega ainda em dezembro daquele ano. A oferta, porém, foi recusada.

Em entrevista à revista “Veja”, o ex-secretário de Comunicação Social Fabio Wajngarten creditou o atraso do governo na aquisição de vacinas à “incompetência” e “ineficiência” do Ministério da Saúde, à época comandado pelo general Eduardo Pazuello.

Membros da CPI trabalham para convocar Wajngarten e Pazuello como uma das ações iniciais da comissão. Uma acareação entre os dois auxiliares do governo Bolsonaro também é estudada.

Fonte: G1

Continue lendo

Amazonas

MPF processa ex-ministro Pazuello e secretário de Saúde do AM por responsabilidade na crise de oxigênio

Avatar

Publicado

em

Por

O Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas ajuizou, nesta quarta-feira (14), ação de improbidade administrativa contra o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e o secretário estadual de Saúde do Amazonas, Marcellus Campelo, por omissão no combate à pandemia entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021, quando o Amazonas registrou colapso de oxigênio nas unidades de saúde e aumento de mortes por covid-19.

Entre 14 e 15 de janeiro, falta de oxigênio nos hospitais de Manaus levou a cidade de Manaus a um cenário de caos. Com recordes nos casos de Covid, a capital precisou enviar pacientes que dependiam do insumo para outros estados.

A ação, encaminhada à Justiça Federal no Amazonas, cita, também, três secretários do Ministério da Saúde e o coordenador do Comitê de Crise do Amazonas, Francisco Ferreira Máximo Filho.

No documento, o MPF identificou atos de improbidade administrativa em cinco situações distintas:

  • atraso e lentidão do Ministério da Saúde no envio de equipe para diagnosticar e minorar nova onda de covid-19 no Amazonas;
  • omissão no monitoramento da demanda de oxigênio medicinal e na adoção de medidas eficazes e tempestivas para evitar seu desabastecimento;
  • realização de pressão para utilização de ‘tratamento precoce’;
  • demora na adoção de medidas para transferência de pacientes que aguardavam leitos;
  • e ausência de medidas de estímulo ao isolamento social.
Continue lendo

Brasil

Mãe de Henry Borel passa mal em presídio e é internada

Avatar

Publicado

em

Por

Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, foi encaminhada para atendimento médico na madrugada desta segunda-feira (12). A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro (Seap). Ela está presa no Instituto Penal Ismael Sirieiro, em Niterói, na Região Metropolitana.

De acordo com o órgão, Monique sentiu dores abdominais após urinar e solicitou atendimento médico. Ela foi encaminhada ao Hospital Penal Hamilton Agostinho, dentro do próprio Complexo Penitenciário de Gericinó.

Após ser diagnosticada com uma infecção urinária, a previsão é de que Monique siga internada por pelo menos três dias no local para acompanhamento e para receber a medicação recomendada.

Na quinta-feira (8), o vereador carioca Dr. Jairinho (sem partido), padrasto da criança, e Monique foram presos por suspeita de homicídio duplamente qualificado –com emprego de tortura e sem chance de defesa para a vítima –, por atrapalharem as investigações e por ameaçarem testemunhas para combinar versões.

Continue lendo

Facebook

Propaganda
Propaganda
Propaganda

Mais Lidas

Copyright © 2021 Portal do Minuto. Todos Direitos Reservados. Portal - Manaus