Conecte-se conosco

Mundo

Durante resgate de jovens, mergulhador morre por falta de oxigênio em caverna na Tailândia

Publicado

em

presos em caverna na Tailândia

Um ex-mergulhador da Marinha tailandesa que participava dos esforços de resgate dos meninos que estão em uma caverna inundada na Tailândia morreu nesta quinta-feira (5). Saman Kunan, de 38 anos, levou suprimentos para o grupo de 13 pessoas, mas ficou sem oxigênio quando retornava para a entrada da caverna Tham Luang. O ex-integrante do grupo de elite da Marinha era triatleta e tinha se voluntariado a participar da operação de resgate.

“Após ter entregue uma reserva de oxigênio, ficou sem ar em seu retorno”, declarou o vice-governador da província de Chiang Rai, Passakorn Boonyaluck. “Perdeu a consciência no caminho de volta, seu companheiro de mergulho tentou ajudá-lo e carregá-lo”, revelou o oficial da Marinha Apakorn Yookongkaew.

A morte de um militar experiente deixa claro os riscos do resgate dos 12 meninos, que têm entre 11 e 16 anos, e do técnico, de 25 anos. Alguns não sabem nadar e todos terão que aprender noções básicas de mergulho.

O grupo, que está preso desde 23 de junho, foi encontrado por dois mergulhadores britânicos após nove dias de intensas buscas, aglomerados sobre uma rocha a cerca de 4 km da entrada da caverna.

“A morte deste especialista mergulhador serve para mostrar a dificuldade dos trabalhos de resgate. Apesar desta morte, não vamos parar de trabalhar para resgatar o grupo”, afirmou uma fonte do gabinete do governador da província de Chiang Rai, onde está localizada a caverna.

O corpo de Kunan será levado para a cidade de Sattahip, no sudeste do país, onde será realizado o funeral. Ele será cremado.

O nível de oxigênio na câmara de ar onde os meninos estão, na caverna, caiu para 15%. O nível normal é de 21%. Por isso, as equipes decidiram levar oxigênio ao local, segundo a BBC.

“O mergulho é sempre cheio de riscos. Ele pode ter desmaiado, fazendo-o se afogar, mas temos que esperar pela autópsia”, disse o vice-almirante da Marinha, Aphakorn Yookongkaew. “Apesar de termos perdido um homem, seguimos com fé em nossa missão”, declarou.

Operações de resgate

As autoridades analisam as opções para a saída dos meninos. A água está sendo bombeada para fora da caverna, socorristas vão ensiná-los a mergulhar pelas passagens inundadas ou encontrar uma cavidade no teto da montanha por onde poderiam ser retirados com ajuda de um helicóptero.

Após a morte do mergulhador, a Marinha tailandesa insinuou que possivelmente as equipes de emergência não terão outra alternativa a não ser tentar um resgate complexo e perigoso. A janela de tempo para retirar os jovens da caverna é “limitada”, admitiram as autoridades.

“A princípio, pensávamos que as crianças poderiam ficar durante muito tempo. Mas a situação mudou, e agora nos resta um tempo limitado”, declarou o comandante da Marinha, Apakorn Yookongkaew, um dos coordenadores da equipe de crise.

Yookongkaew explicou que cilindros de oxigênio foram espalhados ao longo da caverna para tentar abastecer as crianças e seus acompanhantes, incluindo o treinador do time de futebol.

As autoridades querem evitar um plano de emergência que inclua uma saída precipitada. A morte do mergulhador foi um duro golpe para a moral dos socorristas, incluindo vários estrangeiros. Mas se chuva prevista para as próximas horas provocar o aumento do nível da água, talvez não reste outra alternativa.

5 horas de mergulho

No momento, um mergulhador experiente precisa de 11 horas para fazer uma viagem de ida e volta até o local em que estão os jovens: seis de ida e cinco para volta, graças à ajuda da corrente.

O trajeto tem vários quilômetros e inclui passagens estreitas e trechos sob a água. A opção de mergulhar é considerada perigosa já que os meninos não sabem nadar e a água é lamacenta, o que prejudica a capacidade de localização mesmo de mergulhadores experientes.

Os socorristas dizem que preferem esperar a água baixar e manter o grupo na caverna até que possa ser retirado caminhando, com uma parte mínima de trechos submersos, que seriam percorridos com máscaras.

Drenagem da água

Na quinta, cerca de 20 bombas de extração funcionavam sem intervalo e drenam aproximadamente 10 mil litros por hora, o que se traduz em uma diminuição de aproximadamente um centímetro do nível da água.

Porém, ainda assim, alguns trechos teriam que ser percorridos pelo grupo debaixo d’água e, por isso, os socorristas estão treinando os jovens para que aprendam a mergulhar.

Combinada com a drenagem artificial das águas, a pausa na chuva com a previsão de aproximação de uma tempestade abriu a possibilidade para uma tentativa de resgate.

No entanto, as autoridades relutam em anunciar uma data para as operações, embora assegurem que vão prosseguir gradualmente, tirando primeiro os jovens em melhores condições físicas e psicológicas.

Sem condições de deixar a caverna

Na segunda-feira (2), após nove dias sem comer, o grupo recebeu suplementos energéticos e vitaminas antes de receberem uma refeição com carne de porco, arroz doce e leite. Alguns meninos tiveram arranhões e erupções cutâneas.

Apesar de visivelmente magros, estão em bom estado de saúde, embora pelo menos três deles – o técnico e dois meninos- não tenham condições de deixar a caverna de imediato. Eles ainda sentem o efeito do jejum forçado.

Os meninos têm recebido ajuda de militares, entre eles um médico e um psicólogo.

*Fonte: Portal G1

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Dióxido de enxofre emitido por vulcão alcançará Europa e África

Publicado

em

Por

A erupção do vulcão Cumbre Vieja, na ilha de La Palma, na Espanha, provoca a emissão de grande quantidade de dióxido de enxofre, que chegará a cobrir parte da Península Ibérica, assim como quase toda a extensão de Marrocos e Tunísia, podendo chegar até as costas de França, Itália, Argélia e Líbia.

A informação foi divulgada nesta quarta-feira (23) pelo sistema de satélites Copérnico, mantido pela União Europeia (UE).

Em foto postada na conta oficial do sistema de monitoramento, é possível observar previsão de presença de dióxido de enxofre na atmosfera para esta sexta-feira (24), quando serão registrados os níveis mais elevados na costa atlântica marroquina, costa mediterrânea espanhola, sul da Sardenha, norte da Sicília e costa tunisiana.

Em menor quantidade, a imagem também indica a presença da substância na metade da Espanha, no sul da França, na costa oeste italiana, na ilha francesa da Córsega e toda a costa mediterrânea da África, assim como no interior de Marrocos, Argélia, Tunísia e Líbia.

“Além do fluxo de lava, o vulcão está emitindo uma grande quantidade de dióxido de enxofre na nossa atmosfera”, aponta a mensagem que acompanha a imagem publicada no perfil do satélite Copérnico.

O sistema de monitoramento foi acionado pela UE nesta segunda-feira, para acompanhar a atividade vulcânica em La Palma. A Comissão Europeia, além disso, entrou em contato com as autoridades da Espanha para oferecer apoio adicional.

Os dados principais que estão sendo utilizados para o controle do vulcão Cumbre Vieja são os oferecidos pelos satélites “Sentinel-1”, “Sentinel-2” e “Sentinel-5P”, que visam melhorar os trabalhos de prevenção, acompanhamento e prevenção da população e dos recursos, em casos de desastres naturais e outras emergências.

Fonte: Portal R7

Continue lendo

Mundo

Charlie Watts, baterista do Rolling Stones, morre aos 80 anos

Publicado

em

Por

Charlie Watts, baterista do Rolling Stones, morreu aos 80 anos, nesta terça-feira (24). A informação foi confirmada por Bernard Doherty, agente do músico, em comunicado para a imprensa britânica.

“É com imensa tristeza que anunciamos a morte de nosso amado Charlie Watts”, escreveu o agente do músico.

Segundo informações do jornal Daily Mail, Watts morreu no hospital de Londres e estava cercado por sua família.

“Charlie era um querido marido, pai e avô e, também como membro dos Rolling Stones, um dos maiores bateristas de sua geração. Pedimos gentilmente que a privacidade de sua família, membros da banda e amigos próximos seja respeitada neste momento difícil”, pediu Doherty.

Junto com Mick Jagger e Keith Richards, Watts estava entre os membros mais antigos dos Stones, que passou por algumas mudanças em sua formação ao longo dos anos, desde 1962, quando foi criada.

Charlie passou por um procedimento cirúrgico recentemente. Na ocasião, sem detalhar o motivo da cirurgia, seu representante informou que ela foi “completamente bem-sucedida”, mas que o músico ficaria de fora da turnê da banda, prevista para começar em 26 de setembro.

“Com os ensaios começando em algumas semanas, isso é muito decepcionante para dizer o mínimo, mas também é justo afirmar que ninguém previu isso”, afirmou Watts no anúncio feito em agosto.

“Pela primeira vez, meu ritmo tem estado um pouco estranho. Tenho trabalhado duro para estar completamente bem, mas hoje eu devo aceitar os conselhos dos especialistas que isso demorar mais um pouco”, lamentou o músico, que ainda disse não querer que sua recuperação atrasasse a turnê.

“Depois de todo o sofrimento causado pela Covid, eu realmente não quero desapontar os fãs do Stones que já estão com seus ingressos com mais um anúncio de adiamento ou cancelamento. Por isso, pedi para meu grande amigo Steve Jordan para me substituir.”

Em 2004, Watts passou por um tratamento contra o câncer. Na época, Jordan também assumiu o posto do baterista nos shows.

Formado em artes gráficas, Watts começou sua carreira na música tocando bateria nos clubes de R&B, em Londres. Foi lá que conheceu seus companheiros de banda Brian Jones, Mick Jagger e Keith Richards.

Com informações: G1

Continue lendo

Mundo

Veja como o Afeganistão será afetado com o Talibã no poder

Publicado

em

Por

Diante da retirada das tropas americanas, o grupo extremista Talibã conquistou o Afeganistão e assumiu o controle do palácio presidencial do país, instalado na capital Cabul, em menos de um mês de campanha militar. Com isso, moradores temem a volta das práticas medievais e de uma série de proibições que ocorriam na década de 1990, quando o grupo insurgente ocupou o poder pela primeira vez.

Na época, o grupo também impunha aos homens o uso de barba e às mulheres, a burca – vestimenta que cobre todo o corpo, inclusive os cabelos, e apresenta uma estreita tela, à altura dos olhos, através da qual se pode ver. Já há relatos de que os militantes voltaram a cobrar essas regras desde domingo (15/8).

O grupo insurgente determinou que a presença masculina (já que mulheres são proibidas) nas mesquitas às sextas-feiras é obrigatória. O dia é sagrado para o islamismo.

Outro tremor é de que o acesso às mídias sociais e ao celular seja proibido, como em 1990. Durante esse período, ouvir música também não era aceito socialmente. Com o intuito de fiscalizar as ações da população, o grupo criou uma polícia de costumes, que não media esforços para punir os “infratores” com açoitamentos ou assassinatos.

A angústia dos afegãos de retornarem essas regras levou alguns à morte. Vídeos compartilhados nas redes sociais mostram duas pessoas caindo de um avião que deixava a cidade de Cabul, no Afeganistão, nesta segunda-feira (16/8) em uma tentativa de fuga. Ao menos outras três pessoas morreram no tumulto na pista do aeroporto de onde partia o voo após o Talibã tomar o governo do Afeganistão no domingo.
Veja a matéria completa: Metrópoles https://bityli.com/rbCMl
Continue lendo

Facebook

Propaganda
Propaganda

Mais Lidas

Copyright © 2021 Portal do Minuto. Todos Direitos Reservados. Portal - Manaus