Conecte-se conosco

Destaque

Em Manaus, mãe denuncia Mundo do Saber por discriminar filho PCD; escola alega difamação

Publicado

em

“Discriminaram o meu filho”. É o que alega a advogada Bárbara Rodrigues, que acusa o Centro Educacional Mundo do Saber, situado no bairro Adrianópolis, Zona Centro Sul de Manaus, de ter recusado a matrícula de seu filho, o pequeno Théo, de 2 anos, em razão de sua condição de saúde equiparada a uma pessoa com deficiência (PCD). A criança é ostomizada e precisa, portanto, usar uma bolsa de colostomia.

Bárbara relata que procurou uma vaga para seu filho no centro educacional e foi informada de que seria necessária uma série de condições para que ele fosse aceito, condições estas que, segundo ela, estão fora da lei. Além disso, a escola também teria dificultado todo o processo para a aceitação da matrícula que inclui avaliação psicopedagógica, segundo ela.

Porém, antes disso, Bárbara teria procurado a direção da escola sem se apresentar como mãe de uma criança com deficiência e o tratamento, segundo relatou Bárbara, foi totalmente diferente e facilitado por parte da escola.

“No dia que eu fui conhecer [a escola] ele [diretor] me mostrou as salas, as professoras, tudo! E nesse dia que eu fui e disse que era mãe do Theo, ele disse que não estava com a agenda da psicopedagoga e não saberia dizer o horário disponível para avaliação. Antes de falar que era para o Théo tinha vaga para avaliação, para matrícula e depois desapareceu tudo”, afirma a mãe da criança.

A advogada relata ainda que, depois de insistir, ela conseguiu uma vaga com a psicopedagoga, mas que chegando lá com o filho, a profissional sequer olhou para a criança e já tinha o veredito: “nós não vamos aceitar a matrícula do seu filho porque precisaria de um enfermeiro para acompanhá-lo”, teria dito a pedagoga, ao acrescentar que os pais teriam que contratar esse profissional, de acordo com Bárbara.

O pai de Théo, Raphael Rodrigues é enfermeiro e se prontificou a ficar de sobreaviso caso acontecesse qualquer eventualidade com a criança, mas ressaltou que não seria necessário acompanhá-lo todos os dias. Porém, segundo os pais da criança, a escola não teria aceitado também essa condição.

“Não tem essa exigência para nenhuma pessoa com deficiência, ter um enfermeiro pra cuidar dela, porque é uma pessoa normal, meu filho é uma criança normal, saudável, ele só usa uma bolsa de colostomia. E quando eles pedem essa contratação, é como se eles quisessem tolher, colocando uma situação onerosa demais para que a gente não consiga matricular, porque imagina você ter que pagar uma mensalidade e ainda pagar o enfermeiro…”, alega a mãe de Théo.

Diante da situação, Bárbara, que é advogada, acionou o Ministério Público do Amazonas (MPAM), o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Ministério da Educação (MEC) e registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia Civil. Ela afirma que quer reparação pública por parte do centro educacional.

“Isso não vai ficar impune, vamos até o final. Inclusive, na ação cível a gente quer reparação pública, porque aqui a gente não está interessada em dano moral, a gente quer que outras mães e crianças não passem por isso. Eu não quero que outra mãe passe pelo o que eu passei. Infelizmente eles pegaram uma mãe que não é leiga. Mas, outras mães devem ter saído de lá com uma recusa e vai acontecer com outras se ninguém fizer nada, e eu quero fazer”, disse Bárbara.

O outro lado

Procurado pela reportagem, o Centro Educacional Mundo do Saber nega ter discriminado a criança e afirma que o caso trata-se de difamação, e que a escola entrará com ação na Justiça contra Bárbara e pedirá retratação pública. A escola também registrou um Boletim de Ocorrência contra Bárbara que, segundo a direção da escola, utiliza perfis falsos nas redes sociais para difamar o centro educacional.

A diretora da escola, Jeane Lima, afirma que no momento da procura não havia vaga para pessoa com deficiência, obedecendo a um regimento estadual que dispõe sobre a capacidade da escola e das turmas em receber crianças com deficiência. Além disso, a escola não disponibiliza ambulatório para acolher alunos ostomizados. “Para eu aceitar uma criança ostomizada eu preciso ter enfermeiro e ambulatório na escola”, alega a diretora.

Ainda segunda a diretora, em nenhum momento foi exigido que os pais contratassem um profissional da saúde para acompanhar a criança. Segundo Jeane, a mãe da criança foi quem sugeriu que o pai enfermeiro ficasse à disposição para uma possível eventualidade, mas essa condição não foi aceita pela escola, que defende a permanência constante de um enfermeiro com o aluno, porém, disponibilizado pela própria escola, que ainda não tem essa estrutura.

“Para a gente construir um negócio desses foi muito doído, leva muito tempo, são horas de trabalho que eu me abstenho de ficar com os meus filhos, mas para derrubar é questão de segundos. Um prédio leva anos para ser construído, mas para derrubar é questão de segundos, e é exatamente essa a intenção dessa moça. Por qual motivo eu não sei, porque em momento algum a distratamos”, afirma a diretora.

O advogado do centro educacional, Darden Klinger Colares, afirma que irá tomar as providências cabíveis contra Bárbara por difamação. “A forma de lidar com isso é a forma que nos respalda, iremos entrar com uma possível ação indenizatória, ou então, ainda que ela possa se redimir, possivelmente uma retratação pública”, afirmou o advogado.

Com informações: A Crítica

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Entrar

Deixe uma resposta

Amazonas

Candidato a deputado estadual, Capitão Carpê é o vereador mais produtivo de Manaus

Publicado

em

Por

O vereador Capitão Carpê (Republicanos) é o vereador da Câmara Municipal de Manaus (CMM) com o maior número de proposições apresentadas na atual legislatura. Até esta quinta-feira (18), o Sistema de Apoio ao Processo Legislativo (SAPL) – site que registra as ações dos parlamentares – havia registrado 3.131 ações do mandato do capitão da PM, contra 2.913 do segundo colocado e 2.753 do terceiro.

As ações compreendem projetos de lei, requerimentos, indicações, moções, emendas, projetos de lei complementar e projeto de decreto legislativo.

Desde o início do seu mandato, Capitão Carpê realiza atendimentos por meio do seu gabinete externo localizado na Vila Marinho (Compensa), onde são recebidas demandas de manutenção e denúncias da cidade. A criação de um gabinete externo foi uma das formas, segundo o vereador, de manter o contato com a população.

“Assim que me tornei vereador assumi um compromisso com a população de estar sempre próximo ouvindo as necessidades do povo. Esse marco é apenas um reconhecimento de todo o trabalho que estamos fazendo por Manaus” comentou.

Candidatura

Ao falar de seu mandato, Carpê também enfatizou que ter alcançado essa posição nada tem a ver com sua candidatura, mas com o compromisso de trabalhar e honrar os votos recebidos para vereador em 2020.

O vereador atualmente concorre ao cargo de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam). Sua candidatura se apresenta sobretudo para representar pautas que são criticas para a sociedade amazonense, destacando: segurança pública, saúde, educação, desenvolvimento regional, social e de desporto.

Continue lendo

Destaque

Começa julgamento de acusado de matar adolescente de 17 anos, no Centro de Manaus, em 2019

Publicado

em

Por

O julgamento de Michael Saboia de Souza Xavier, acusado de matar Heloísa Medeiros da Silva, de 17 anos, no Centro de Manaus, começou nesta quinta-feira (18). O assassinato ocorreu em dezembro de 2019. O réu responde pelos crimes de feminicídio ocultação de cadáver.

De acordo com o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), a 2.ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus começou o julgamento às 10h desta quinta. O número do processo é 0671090-67.2019.8.04.0001.

O julgamento, que está sendo presidido pela juíza de Direito Ana Paula de Medeiros Braga Bussulo, integra a programação da Semana Justiça pela Paz em Casa.

A promotora de justiça Clarissa Moraes Brito está representando o Ministério Público, com assistência da defensora pública Aline de Azevedo. O advogado Fabiano Cortez de Negreiros está atuando na defesa do réu.

Conforme o TJAM, foram convocadas oito testemunhas, entre acusação e defesa. A primeira testemunha é a delegada de polícia Cristiane Raquel Perimazze, plantonista da Delegacia de Homicídio no dia do crime e que atendeu a ocorrência.

O crime

De acordo com os autos, Heloísa Medeiros da Silva foi encontrada morta no dia 15 de dezembro de 2019, mas a perícia apontou que a morte dela ocorreu entre os dias 13 e 14.

As investigações mostraram que a vítima e o acusado se encontraram no dia 12 daquele mês, em um bar. Depois, eles seguiram para a residência da avó dele, situada na Rua Miranda Leão, no Centro de Manaus, local onde o corpo de Heloísa foi encontrado.

Segundo a perícia, a morte de Heloísa foi provocada por asfixia decorrente de ação contundente que gerou trauma na região raquimedular.

Suspeito do crime, Michel chegou a passar um período foragido, até ser preso, no Estado do Maranhão. Mas foi capturado e transferido para Manaus.

Nesta quinta, o TJAM listou os crimes pelos quais o homem responde. “O réu foi pronunciado pela Justiça como incurso nas sanções do art. 121 (matar alguém), parágrafo 2.º, incisos III (por asfixia) e VI (crime contra a mulher por razões da condição de sexo feminino), combinado com o parágrafo 2.º-A, inciso II (menosprezo ou discriminação à condição de mulher) e art. 211 (ocultação de cadáver), todos do Código Penal Brasileiro”, informou o tribunal.

Com informações: G1 Amazonas

Continue lendo

Cultura e Entretenimento

UniNorte promove a Sensibilização da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla

Publicado

em

Por

O maior centro universitário do Norte (UniNorte) promoverá a Sensibilização da Semana Nacional da Pessoa com deficiência intelectual e múltipla no período de 22 a 26 de agosto na unidade Djalma Batista.

O evento tem como objetivo, falar sobre a deficiência, os direitos, a saúde, a inclusão social e as possibilidades nas esferas das artes plásticas, dança e esporte.

A exposição Fotográfica: “ O olhar de quem não é visto”, com a curadoria de Claudia Higuchi estará sendo exposta no evento.

A mostra é baseada em 20 imagens que demonstram o olhar de 10 alunos deficientes que participaram da Oficina de Fotografia exclusivamente para deficientes, um projeto contemplado pelo Prêmio Amazonas Criativo da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado do Amazonas.

Todas as atividades serão gratuitas e abertas a comunidade.

Local: UniNorte – Unidade Djalma Batista
Av Djalma Batista, 122

 

Cronograma

22/08 Palestra: Superando Barreiras. Conhecer para incluir Socorro Gil e Paulo Lamego
23/08 Palestra: Os desafios da Inclusão e os direitos das pessoas com deficiência Polyana Milena Barros Navegante
24/08 Palestra: Incluindo e ampliando os cuidados odontológicos nas pessoas com deficiência: a realidade da UEA.

Palestra: APADAM ( Associação de Pais e Amigos do Down do Amazonas)

Eliane Aranha

 

 

 

Omar Maia

 

25/08 Palestra: Inclusão e Acessibilidade – Uma reflexão: Temos e sabemos?

 

Palestra: Conhecer para Incluir: reflexão sobre a responsabilidade social universitária

 Ana Emília Guedes

 

 

Gilmara Araujo

26/08 Palestra e Apresentação: Balé inclusivo

Palestra e Apresentação: Parajiujitsu desportivo

Palestra e Apresentação: Dança Folclórica (Grupo AFULA)

Luana Lopes

Jonathas Machado

Dante Ferreira

 
22 a 26/08 Exposição Fotográfica: “O Olhar de quem não é visto” Curadoria de Claudia Higuchi
22 a 26/08 Exposição das obras de Henrique Figueira Artista Plástico Autista

 

  Exposição das obras de Wupi Dias Artista Plástico

 

 

Continue lendo

Facebook

Propaganda
Propaganda

Mais Lidas

Copyright © 2022 Portal do Minuto. Todos Direitos Reservados. Portal - Manaus