Conecte-se conosco

Ciência e Tecnologia

Embrapii e BNDES vão financiar projetos com foco no combate à covid-19

Avatar

Publicado

em

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), assinou acordo com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com o objetivo de financiar projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) para a área da saúde, com foco nos produtos para combate à covid-19.

O diretor-presidente da Embrapii, Jorge Guimarães, afirmou, durante solenidade virtual de assinatura do acordo, que espera promover tantos projetos que, em poucas semanas, os R$ 20 milhões do Fundo Tecnológico (Funtec) do BNDES deverão ser duplicados e até atingir valores mais altos que R$ 40 milhões. Graças ao modelo de negócio copiado da Alemanha, baseado no tripé empresa/governo/universidade, que facilita a interação entre essas entidades, a Embrapii tem hoje 60 unidades de pesquisa credenciadas, 700 empresas associadas e quase mil projetos. “O projeto a empresa traz como sua demanda de desenvolver, buscando a competência”.

Guimarães disse que só na Amazônia há 100 tipos diferentes de vírus em plantas, que mutam para animais e desses para os homens. Por isso, acrescentou que os países, incluindo o Brasil, têm de se preparar adequadamente para enfrentar possíveis novas pandemias. O diretor-presidente da Embrapii afirmou que a meta é assinar um novo contrato de gestão, por dez anos, com o ministério e reunir 12 mil empresas, “que estão ávidas para atuar no modelo Embrapii”.

No acordo firmado com o BNDES, Guimarães adiantou que terá destaque a área da saúde e, especialmente, a biológica, em que o país tem mais dificuldade, porque nos últimos anos a indústria farmacêutica ficou de fora. Ele pretende atrair indústrias farmacêuticas que, no momento, são somente quatro das 700 companhias associadas, em especial para o setor da biotecnologia molecular, onde estão “os medicamentos realmente caros”.

Soluções inovadoras

Os recursos do BNDES vão apoiar soluções inovadoras em fase final de produção. Os projetos devem estar direcionados para o desenvolvimento de testes diagnósticos, ventiladores pulmonares e componentes, equipamentos de proteção individual e coletiva para profissionais da saúde e pacientes, e soluções ligadas ao combate, tratamento e diagnóstico da covid-19, como tomógrafos, testes de medicamentos e vacinas e tecnologias associadas à indústria 4.0, que envolve inteligência artificial, softwares (programas de computador) e sensores, que contribuam para a retomada da atividade econômica de forma segura. A parceria permite financiar as fases finais do projeto, como lote piloto e certificações, demonstração em ambiente operacional e as etapas de validação de seu desempenho, considerando que o projeto já se encontra na fase de industrialização.

Na avaliação do presidente do BNDES, Gustavo Montezano, a parceria com a Embrapii é frutífera porque as duas instituições buscam a inovação e o desenvolvimento como forma de melhorar a vida da população e, no caso atual, a saúde no país. De acordo com Montezano, o BNDES vê com muito bons olhos o tripé governo/academia/empresa privada. “É justamente essa economia da colaboração, essa economia de propósito, que está ditando a nova fronteira da sociedade”. As distâncias entre público e privado estão diminuindo, assegurou. “Cada vez que a gente conseguir atuar em parceria, complementaridade, esse é o caminho do sucesso, do desenvolvimento”, afirmou. Montezano está convicto de que essa parceria entre o BNDES e a Embrapii vai trazer bons resultados para o Brasil.

A participação financeira do banco poderá chegar a até 50% do total do investimento apoiável; o restante será dividido por aportes não financeiros das unidades Embrapii e contrapartidas das empresas parceiras. O modelo Embrapii estabelece que as unidades credenciadas somente terão acesso aos recursos para a contratação de projetos que sejam realizados em parceria com, pelo menos, uma empresa industrial. Em todos os projetos, a empresa deverá aportar, no mínimo, 10% do valor total do investimento.

Ciência e tecnologia

O ministro Marcos Pontes, da Ciência, Tecnologia e Inovações, destacou, ao encerrar a cerimônia, que o atual momento de pandemia demonstra a importância do setor para o mundo e que os países desenvolvidos investiram, mantiveram e fizeram crescer seus sistemas de ciência, tecnologia e inovações. “Sabem que é por meio disso que se sai de crises, que se desenvolve a economia”.

Pontes lembrou que a ciência e a tecnologia são usadas na atualidade para combate direto ao vírus e aos seus efeitos. A tecnologia, disse o ministro, é importante para todo o aparato médico, para o tratamento da população e para a recuperação do país. “Vai ser por meio da ciência, tecnologia e inovações que o país vai se recuperar e conseguir, de forma rápida, ter retorno sólido dos investimentos e rapidamente aumentar a geração de empregos”. O Brasil tem que acompanhar esse conhecimento, afirmou Pontes.

O ministro disse ainda que a parte de financiamento para ciência e tecnologia sempre foi inconstante no Brasil. “Eu acho que é o momento ideal para que possamos fazer isso”. Segundo Pontes, a única coisa positiva que o novo coronavírus trouxe foi mostrar para o planeta a necessidade de união dos países e das organizações, “de forma que a gente consiga sair melhor dessa pandemia e se preparar para próximas”. O país tem de estar preparado para responder, tanto em termos de ciência, quanto em termos de tecnologias, às ações necessárias para o enfrentamento e, depois, a recuperação desses sistemas, acrescentou

 

*Fonte: Agência Brasil

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ciência e Tecnologia

Missão japonesa fará imagens de Marte e suas luas em alta definição

Avatar

Publicado

em

Por

Foto: NASA-/JPL-Caltech/Handout via Reuters/Direitos Reservados

A Agência de Exploração Aeroespacial Japonesa (Jaxa) quer ser a primeira a fotografar em ultra alta definição de 8K o planeta Marte e suas luas (Fobos e Deimos). A ideia é fazer essas imagens por meio de uma Super Hi-Vision Camera, desenvolvida em parceria com a Japan Broadcasting Corporation (NHK) na missão da Martian Moons Exploration (MMX), nave que ainda está sendo desenvolvida e que tem previsão de lançamento para 2024.

“Combinando os dados reais de voo da espaçonave MMX e as imagens obtidas pela Super Hi-Vision Camera, a exploração da espaçonave MMX em torno de Marte e suas luas (o sistema marciano), a 300 milhões de quilômetros da Terra, será recriada”, informa a Jaxa por meio de seu site.

De acordo com a agência, a missão terá, como objetivo, o de esclarecer a origem das luas marcianas e o processo evolutivo do sistema marciano. Além de observar as duas luas e Marte, por meio de câmeras 4K e 8K, a MMX, que é uma missão de retorno de amostra, pretende pousar em Fobos, onde coletará areia em sua superfície para, então, retornar à Terra.

As imagens obtidas pela super câmera serão tiradas em intervalos regulares e transmitidas em partes, de forma a viabilizar a montagem de uma imagem ampla e uniforme na Terra. Os dados da imagem original ficarão armazenados em um dispositivo de gravação na cápsula de retorno da MMX e serão trazidos de volta à Terra.

 

*Por Pedro Peduzzi/Agência Brasil

*Com informações da Agência de Exploração Aeroespacial Japonesa (Jaxa)

*Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Continue lendo

Ciência e Tecnologia

UE analisa vacina contra Covid-19 da Pfizer-BioNTech em tempo real

Avatar

Publicado

em

Por

REUTERS/Dado Ruvic/Illustration

A agência reguladora de saúde europeia está analisando uma vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Pfizer e pela BioNTech em tempo real, dias depois de iniciar um processo de avaliação semelhante da vacina da AstraZeneca.

A Agência Europeia de Remédios (EMA) disse nesta terça-feira (6) que seu comitê de remédios para humanos está avaliando o primeiro lote de dados sobre a vacina, e que continuará a fazê-lo até que surjam dados suficientes para uma decisão final.

Pfizer e BioNTech disseram, em um comunicado conjunto, que o início da avaliação se baseia em dados de laboratório e de testes com animais, além de testes iniciais como humanos, e que continuam conversando para enviar dados à medida que eles surgem.

A EMA está usando “revisões contínuas” para acelerar as avaliações de vacinas durante a pandemia, estudando dados à medida que são apresentados, ao invés de esperar que todos os informes sejam disponibilizados juntamente com uma solicitação formal.

Doença mata mais de um milhão

Na semana passada, a agência começou a avaliar a vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford, batizada de AZD1222 ou ChAdOx1 nCoV-19, o que aumenta as chances de a vacina britânica se tornar a primeira a ser aprovada na região para o combate à doença, que já matou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo.

Enquanto a AZD1222 usa uma versão atenuada de um vírus de gripe de chimpanzé comum para criar imunidade contra a covid-19, a vacina da Pfizer e da BioNTech, chamada BNT162b2, usa ácido ribonucleico, um mensageiro químico que contém instruções para a fabricação de proteínas.

Quando injetada em humanos, a BNT162b2 instrui as células a fabricarem proteínas que imitam a superfície exterior do novo coronavírus, que o corpo reconhece como um invasor, preparando uma reação imunológica. Atualmente, a vacina da Pfizer está sendo avaliada em estudos de estágio avançado nos Estados Unidos, Brasil, África do Sul e Argentina.

 

*Por Pushkala Aripaka/Reuters

Continue lendo

Amazonas

Sony anuncia que irá fechar fábrica em Manaus e encerra suas vendas em 2021

Avatar

Publicado

em

Por

TVs, equipamentos de áudio e câmeras fotográficas da Sony não serão vendidos no Brasil a partir de meados de 2021, segundo a empresa. Na foto, TV Bravia OLED, lançada em 2017 durante a CES, feira de eletrônicos nos EUA. — Foto: Divulgação/Sony

A Sony comunicou a varejistas na última segunda-feira (14) que em 2021 irá fechar a sua fábrica no Brasil, localizada em Manaus.

A empresa afirmou que a fabricação de eletrônicos será encerrada em março de 2021.

venda e a distribuição de segmentos como TVs, áudio e câmeras também serão encerradas em meados de 2021, de acordo com o comunicado.

A garantia e assistência técnica serão mantidas no país, assim como a venda do videogame PlayStation.

Ao G1, a assessoria de imprensa da Sony informou que a fábrica em Manaus mantinha 220 funcionários, e que todos serão demitidos.

Em nota à imprensa, a empresa disse que “sempre adota medidas para fortalecer a estrutura e a sustentabilidade de seus negócios, para responder às rápidas mudanças no ambiente externo”. Confira a íntegra no final da reportagem.

A atuação em outras áreas, como como a Sony Pictures e a Sony Music, não será comprometida.

Via: G1

Continue lendo

Facebook

Propaganda
Propaganda
Propaganda

Mais Lidas

Copyright © 2020 Portal do Minuto. Todos Direitos Reservados. Portal - Manaus