Conecte-se conosco

Brasil

PC investiga morte de adolescente de 14 anos em baile funk em Caçapava, interior de São Paulo

Publicado

em

A Polícia Civil está investigando a morte de uma adolescente de 14 anos em um baile funk, ocorrido no feriado de Páscoa em Caçapava, interior de São Paulo. Segundo a polícia, Fernanda Alves foi socorrida com sintomas de overdose, supostamente causados pelo uso de entorpecentes. Na ocasião, a adolescente não resistiu e morreu na festa, na madrugada da última sexta-feira (30).

O fato aconteceu no bairro Tataúba, em uma chácara alugada para o evento. O baile era divulgado nas redes sociais como ‘Baile do Jhoow’ – no flyer na internet, as mulheres podiam entrar de graça e os homens pagavam o valor de R$ 15, com whisky liberado a noite toda.

Ainda conforme a polícia, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, por volta de 1h, para a socorrer a adolescente que, segundo testemunhas, não estava respirando. A vítima espumava pela boca e apresentava sinais de sufocamento e parada cardíaca, sintomas associados à overdose.

Além disso, uma amiga de Fernanda – que participava da festa – relatou à polícia, em depoimento, que ela teria consumido entorpecentes antes de passar mal.

“Em depoimento, essa amiga disse que as drogas que a vítima mais utilizava eram cocaína e lança perfume. Pedimos um exame toxicológico para comprovar se essa foi a causa da morte”, afirmou Régis Germano, delegado responsável pelo caso.

Negligência

O caso foi registrado como morte suspeita e a polícia que saber se houve negligência por parte dos organizadores do evento, já que o acesso da adolescente, menor de 18 anos, foi permitido. Segundo a Prefeitura de Caçapava, o evento era particular e que, portanto, não seria necessária autorização para ocorrer. Nenhum pedido foi feito à administração municipal.

“Queremos saber se houve socorro, já que não tinha suporte para atendimento lá. O Samu foi no local, mas impedido de manter a área isolada. Teve que deslocar o corpo da vítima morta por causa da organização, que atrapalhou o trabalho da perícia”, explicou Germano.

O organizador do evento negou a suposta responsabilidade. A vítima estava sem documentos e, para identificá-la, a Polícia Civil divulgou fotos das tatuagens da adolescente – ela tinha cerca de 15, inclusive, o desenho de um revólver no rosto.

Após a divulgação das imagens na web, a vítima foi reconhecida pelo ex-namorado, que entrou em contato com a polícia. A menina era moradora da Vila São Bento.

A mãe da jovem, Ivete Silva, fez o reconhecimento do corpo e prestou depoimento na tarde da última segunda-feira (02).

Outro lado

Por telefone, o suposto responsável pelo evento, Jonathan Wallace, de 25 anos, informou que não sabia da morte até esta segunda e justificou que não era um evento comercial. “A festa era um churrasco entre amigos e acabou aglomerando um grupo de pessoas por causa do som alto”, disse. Ele negou qualquer responsabilidade pela festa.

Apesar disso, a Polícia Civil informou que durante a investigação ele será intimado para prestar depoimento e que pode ser responsabilizado pelo ocorrido – já que o nome dele constava na divulgação da festa no Facebook e o apelido supostamente dava nome ao baile.

Avaliação

O promotor da Vara da Infância e Juventude de São José dos Campos, Fausto Junqueira, explicou que fornecer produtos ilícitos, como álcool e drogas para adolescentes, é um crime considerado grave pelo Estatuto da Criança e Adolescente.

“Independente da forma que é entregue ao adolescente ou se é deixado que ele consuma, sem que nada seja feito, é considerado grave. O crime tem pena de 2 a 4 anos de detenção. Estamos com um projeto de desmantelar festas frequentadas por adolescentes”, disse.

Ainda segundo ele, a família da jovem também pode ser responsabilizada pela morte. “Dependendo das eventuais negligências encontradas pela polícia, a família pode até responder por homicídio culposo (quando não há intenção de matar), caso pudesse ter evitado”, afirmou.

A conselheira tutelar Neci Barroso Araújo, disse que qualquer situação de eventual vulnerabilidade de crianças e adolescentes deve ser denunciada.

“É importante que qualquer pessoa que perceba que há violação do direito ou da dignidade de crianças e adolescentes, denuncie. Essas denúncias podem vir de parentes, da escola e até de vizinhos. Temos tido muitos problemas com adolescentes, já a partir dos 12 anos, que consomem drogas e, quando sabemos por essas denúncias, podemos agir ou ajudar a família na busca de uma solução”, disse ao G1.

*Com informações da fonte: Portal G1

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Ator Luis Gustavo morre aos 87 anos em Itatiba

Publicado

em

Por

O ator Luis Gustavo Blanco morreu neste domingo (19), aos 87 anos, em Itatiba (SP). Ele sofreu complicações por conta de um câncer no intestino. De acordo com informações da família, Luis Gustavo estava em tratamento contra a doença desde 2018 e morreu em casa.

O corpo do ator será cremado em uma cerimônia reservada à família em Itatiba, na tarde deste domingo. Não haverá velório. Segundo o G1 apurou, foi uma opção da família para que a despedida fosse um momento particular.

O ator nasceu em Gotemburgo, na Suécia, no dia 2 de fevereiro de 1934. Foi o Beto Rockfeller (1968), na novela da TV Tupi, que inovou a linguagem do gênero. A estreia dele na Globo foi em 1976.

Dentre os personagens mais marcantes do artista estão o costureiro Ariclenes Almeida/Victor Valentin em “Ti Ti Ti” e Vanderlei Mathias, o Vavá, no programa “Sai de Baixo”, ambos da TV Globo.

Continue lendo

Amazonas

Setembro Amarelo: Vereador Capitão Carpê realizou a 3ª edição da campanha “Ainda não é sua última viagem”

Publicado

em

Por

Fotos: Messias Sena

A campanha “Ainda não é a sua última viagem” busca conscientizar e prevenir o suicídio. Dados da OMS indicam que 90% dos casos poderiam ser evitados.

O vereador Capitão Carpê Andrade (Republicanos) realizou, na tarde desta sexta-feira (10), Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, a 3º edição da campanha “Ainda não é sua última viagem”, em alusão ao Setembro Amarelo.

A campanha foi realizada na cabeceira da Ponte Jornalista Phelippe Daou, conhecida como ponte Rio Negro, Zona Oeste da cidade. O local ficou marcado por casos de suicídio.

A ação visa sensibilizar e comunicar que o suicídio é um problema de saúde pública que pode ser evitado com intervenções por parte do poder público junto com a população.

O vereador iniciou a campanha em 2019, quando ainda atuava como comandante da 8ª Cicom, companhia que atende ao bairro Compensa, onde está localizada a ponte Rio Negro. Após atender a várias ocorrências de tentativa de suicídio no local, o policial decidiu encabeçar uma ação preventiva com as vítimas.

O objetivo inicial era alertar a sociedade para essas ocorrências cada vez mais frequentes. Carpê logo mobilizou um batalhão de voluntários, formado por seus amigos, familiares e seguidores das redes sociais que se prontificaram em ajudar.

A caminhada com entrega de folhetos contendo endereços das unidades de saúde e telefones úteis, que a população pode entrar em contato de forma gratuita para receber atendimento por profissionais da saúde voluntários.

Representando quase nove mil pessoas na Câmara Municipal de Manaus (CMM), o parlamentar falou da importância de intensificar a campanha e como ajudar na conscientização sobre o tema.

“Quem comete suicídio, não quer morrer, eles querem se livrar do que os afligem. Amigos e familiares devem se dispor a ajudar essas pessoas, quem sofre com depressão não quer falar, é preciso está atento aos sinais e, se não se sentir capaz de lidar com a situação, buscar ajuda. Não podemos fechar nossos olhos para o problema do próximo. Estou fazendo 1% junto com minha equipe, familiares, amigos e voluntários, mas devemos fazer muito mais. Se cada um fizer um pouco, podemos mudar essa triste estatística. É necessário falar sobre esse assunto, agir e salvar vidas”, afirmou o capitão.

A ação será encerrada no sábado (11), ás 17hs, com caminhada sobre a ponte e soltura de balões em conscientização ao suicídio.

Em nove meses de trabalho o vereador apresentou Projetos de Lei direcionados a pessoas com sintomas ou em tratamento contra a depressão. Entre eles, foi apresentado o Projeto de Lei nº 314/2021, sobre a obrigatoriedade da presença de profissionais de Psicologia e Serviço Social nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

Também foi proposto pelo parlamentar a criação da primeira Base de Valorização à Vida, na ponte sobre o Rio Negro, oferecendo acolhimento psicossocial, rondas diárias com apoio da Polícia Militar e entrega de cartilhas com informativos necessários como telefones de contato gratuitos.

informações assessoria de comunicação
Fotos: Messias Sena

Continue lendo

Brasil

STJ inocenta Delegado Pablo e vê perseguição política em ação do MPF

Publicado

em

Por

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) inocentou o deputado federal do Amazonas, Delegado Pablo, no processo que apura o vazamento de informações da operação Estado de Emergência, realizada pela Polícia Federal em 2018.

Segundo o STJ, havia uma “rixa política” dentro da Polícia Federal na época que Pablo era delegado da instituição. A situação piorou quando Pablo anunciou que seria pré-candidato a deputado federal na eleição de 2018.

O STJ concluiu que a rixa política dentro da PF tinha o objetivo de prejudicar Pablo na disputa eleitoral daquele ano, e que o processo tinha várias ilegalidades. Entre as falhas está a falta de provas que ligassem Pablo ao vazamento de informações.

A apreensão ilegal do HD do computador de Pablo também foi apontada pelo STJ como um ato ligado à rixa política, cujo objetivo era atrapalhar politicamente o deputado.

A decisão pelo arquivamento do processo foi publicada na terça-feira (31-ago), no site do STJ, e inocentou Pablo das acusações feitas pelo Ministério Público Federal.

Para o deputado, a justiça está sendo feita. “Como disse à época, tratava-se de pura perseguição devido ao trabalho que desempenhei com muita dedicação em 12 anos como policial federal e agora como parlamentar”, afirmou.

Pablo acrescenta que sempre confiou na Justiça e que vai responsabilizar as pessoas que tentaram prejudicá-lo. “Aqueles que tentaram macular minha imagem e a de minha família serão responsabilizados. A justiça está sendo feita”, diz Pablo.

Com informações: D24am

Continue lendo

Facebook

Propaganda
Propaganda

Mais Lidas

Copyright © 2021 Portal do Minuto. Todos Direitos Reservados. Portal - Manaus