Dezenas de ferramentas médicas e vestígios biológicos foram coletados por peritos do Instituto de Criminalística do Amazonas em uma clínica clandestina de aborto que foi desmanchada na zona Centro-Sul de Manaus durante a Operação Nascituro, do Ministério Público do Estado (MPE). O médico responsável pelos procedimentos foi preso.

Segundo as investigações, o médico preso pela prática de aborto é ex-sócio de outro médico, já falecido, que também ficou conhecido na capital pelo mesmo tipo de prática ilegal.

Peritos do Setor do Laboratório de Genética e Biologia Forense, de Perícias e Crimes Ambientais, de Engenharia Forense, Laboratório de Química e Laboratório de Perícias em Locais de Crimes Contra a Pessoa e Patrimônio recolheram amostras de materiais biológicos em ferramentas de utilização cirúrgica e materiais complementares.

Essas informações servirão de base para a elaboração dos laudos, representando material probatório complementar às investigações.

O diretor do Instituto de Criminalística, perito Carlos Fernandes, disse que o trabalho seguirá de maneira sigilosa para não atrapalhar a investigação em curso.

“Estas amostras, assim como a emissão dos laudos solicitados pelo Ministério Público, geram provas materiais e irrefutáveis que são primordiais para as investigações e podem contribuir para a resolução dos casos”, enfatizou.

Operação Nascituro

A operação foi desencadeada por meio do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do MPE-AM, com apoio da Polícia Civil do Amazonas e Instituto de Criminalística, vinculado ao Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC).

Fonte: G1 Amazonas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Prefeitura confirma seis pessoas desaparecidas após naufrágio de barco no interior do Amazonas

O barco que naufragou no interior do Amazonas, na noite desta quinta-feira (20), tinha 97 …