Conecte-se conosco

Destaque

Secretários de segurança querem ações para barrar entrada de fuzis no país

Publicado

em

Segurança

O número de fuzis que chegam às mãos dos integrantes de organizações criminosas vem preocupando secretários de segurança de diversos estados do Brasil. Eles alegam que precisam de ajuda do governo federal para ampliar o controle das fronteiras, uma vez que a maioria destas armas são estrangeiras.

O assunto foi um dos temas discutidos nesta segunda-feira (13), no Rio de Janeiro, em uma reunião extraordinária do Colégio Nacional de Secretários Estaduais de Segurança Pública (Consesp), voltado para debater questões de segurança nacional.

De acordo com o secretário de segurança do Rio de Janeiro, Roberto Sá, em outubro foi superada a marca de 400 fuzis apreendidos pelas forças policiais do estado. No ano passado, foram 371 apreensões, recorde até então. Ainda segundo o secretário, 83% dessas armas são de origem estrangeira.

“Precisamos encarar como uma realidade o uso do fuzil por parte do crime organizado nessa lógica de guerra. Tenho certeza que os traficantes não vão seguir utilizando as táticas ousadas e violentas que praticam hoje quando tirarmos de suas mãos essa arma com alto poder bélico utilizada por terroristas na Europa”, disse Rodrigo Sá.

O secretário defendeu ainda que impedir a chegada dessas armas nas organizações criminosas levará automaticamente à redução dos índices de mortes violentas e também de vítimas de balas perdidas. “Enfrentar estes fuzis transcende as atribuições de uma polícia ordinária. Em qualquer lugar do mundo, haveria tropas especializadas para atuar nesta realidade. Aqui o policial sai do batalhão e já na esquina, no carro que ele vai abordar, há um fuzil”.

Estiveram presentes no encontro 16 secretários de estado e três subsecretários. Oito estados não foram representados. O encontrou contou ainda com as participações do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

O presidente do Consesp e secretário de segurança pública do Maranhão, Jefferson Portela, também manifestou preocupação. “A presença de fuzis não é mais uma realidade apenas do Rio de Janeiro, mas sim de todo o Brasil. Há poucos dias fizemos no Maranhão a apreensão de 14 fuzis norte-americanos, zeros, na caixa. Armas que chegaram ao estado do Maranhão para apoiar os representantes das facções nacionais PCC [Primeiro Comando da Capital] e o Comando Vermelho, que se espalham pelo país sob nomenclaturas diferentes”.

Rodrigo Maia avaliou que o governo federal precisa se envolver mais no tema da segurança pública. “Fronteiras é um tema prioritário. O governo federal precisa assumir de forma mais concreta sua responsabilidade. Os últimos três ou quatro governos não assumiram. Nós entendemos que são crimes federais, não dos estados. Mas acaba que os governadores e secretários estaduais assumem responsabilidades que não são suas”.

Questionado a respeito da contradição entre a preocupação com a chegada de armas no Brasil ao mesmo tempo em que há uma comissão de deputados propondo o fim do Estatuto do Desarmamento, Rodrigo Maia disse que parte da sociedade brasileira concorda com o direito de ter armas.

“Talvez a sociedade tenha perdido de alguma forma a esperança com a política, a segurança pública, não sei. De fato, pensar em um cidadão, uma arma, é um absurdo. Ver o que acontece no Brasil e no mundo exatamente pelo porte de uma arma também é um absurdo. Mas há milhares de casos pelo Brasil e as pessoas estão, vamos dizer assim, sendo atacadas por um bandido armado. E o que aparece em pesquisas é que elas defendem o direito de terem armas. Eu não pautei e disse aos deputados que acho que esse debate nesse ambiente não era o melhor momento”.

Legislativo

O encontro tratou ainda de projetos na área da segurança pública que estão em discussão na Câmara dos Deputados, algumas já aprovadas. Os secretários apresentaram à Rodrigo Maia 12 propostas, entre elas está o bloqueio dos sinais de telefonia e internet nos presídios, a criação do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Segurança Pública e a aprovação do Sistema Único de Segurança Pública (Susp).

“A saúde e a educação possuem um fundo constitucional que permite que os estados consigam manter alguns serviços essenciais com essa linha de financiamento. A segurança pública precisa ter uma fonte de financiamento para manter minimamente suas atividades essenciais. Se tivéssemos esses recurso, poderia minimamente manter a manutenção de viaturas, a gratificação no sistema de metas, o que teria feito uma grande diferença no Rio de Janeiro. E apesar de estar com trabalhando com 40% do orçamento, metade da frota parada, ter perdido 2 mil policiais militares e 500 policiais civis, estamos com uma média de 4 mil prisões por mês e 24 armas de fogo apreendidas por dia”, disse Rodrigo Sá.

A lei que classificou o porte ilegal de armas de uso restrito em crime hediondo, aprovada e sancionada no mês passado, foi comemorada pelos secretários. Outra medida que eles defendem é o endurecimento para a progressão de regime para os condenados por crimes hediondos. Na semana passada, a Câmara dos Deputados aprovou um projeto que extingue a progressão de regime para condenados por homicídios de policiais. O tema será agora apreciado pelo Senado.

Para debater mudanças legislativas que favoreçam o combate ao tráfico de drogas e armas, Rodrigo Maia anunciou no mês passado a criação de uma comissão de juristas que será presidida pelo ministro do STF, Alexandre de Moraes. A ideia é que seja apresentado em quatro meses um anteprojeto de lei. O presidente do Consesp, Jefferson Portela, afirmou que ficou pactuado na reunião de hoje a participação de um secretário estadual de segurança na comissão.

“O arcabouço jurídico vigente não faz cumprir a função social do sistema criminal brasileiro. Hoje o sistema criminal não enfraquece o crime. Nós não estamos lidando com o crime comum. Lidamos com o comando nacionalizado de organizações criminosas e transnacionais”, declarou.

O presidente do Colégio Nacional de Secretários Estaduais de Segurança Pública, Jefferson Portela, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o secretário de segurança do Rio, Roberto Sá – Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Por Agência Brasil

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Técnica de relaxamento com saco causou morte de ator, diz laudo

Publicado

em

Por

morte do ator Luiz Carlos de Araújo foi acidental, causada por uma mistura do uso de antidepressivos, cocaína, álcool e de um saco plástico para cobrir a cabeça, apontou laudo da Polícia Civil de São Paulo, revelado nesta quarta-feira (22).

Segundo a perícia, a morte deve ter sido causada pelo próprio ator enquanto ele fazia uma técnica de relaxamento chamada de re-respiração com a ajuda do saco plástico. A técnica, informou o legista, é usada para diminuir respiração rápida e descontrolada em situações de ansiedade, para “aumentar o teor de dióxido de carbono e diminuir o teor de oxigênio”.

“Tal prática pode ter como complicação a asfixia por confinamento (troca do ar respirável por ar irrespirável)”, explica o laudo.

A polícia considerava outras duas hipóteses para a morte (suicídio ou homicídio), que foram descartadas: “não foram observados sinais de constrição cervical externas ou internas [enforcamento], mesmo após dissecção cuidadosa do pescoço da vítima Luiz Carlos”.

“A associação de antidepressivos, cocaína e álcool, com consequente rebaixamento do nível de consciência, associada ao confinamento foram às causas da morte”, conclui o laudo.

Luiz Carlos foi encontrado morto no último dia 11 dentro de um apartamento sem sinais de arrombamento, invasão por meio da sacada ou assalto de bens. O ator se destacou por sua participação na novela Carinha de Anjo, do SBT, e em outras peças de teatro. Ele tinha 42 anos.

Fonte: Portal R7

Continue lendo

Amazonas

Cetam abre inscrições para mais de 26 mil vagas em cursos no interior do AM

Publicado

em

Por

O Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam) abriu, nesta quarta (22) e na quinta-feira (23), as inscrições para 26.910 vagas em cursos de qualificação profissional. As vagas são destinadas, exclusivamente, para candidatos do interior do estado.

As inscrições serão somente on-line, das 6h às 23h59, ou até terminarem as vagas. Os interessados em um dos 35 cursos ofertados nos 61 municípios do Amazonas deverão acessar o endereço https://cursos.cetam.am.gov.brSó é aceito um CPF por vaga.

As vagas ofertadas serão ocupadas pelo processo de ordem de chegada, ou seja, até o limite do número de vagas regulares e reservas oferecidas por curso. Antes de efetuar a inscrição, o candidato deverá certificar-se de que preenche todos os pré-requisitos para o curso que deseja ingressar.

Continue lendo

Amazonas

12 toneladas de pirarucu são apreendidas em embarcação em Coari

Publicado

em

Por

Cerca de 12 toneladas de pirarucu foram apreendidas em uma embarcação, por policiais da Base Arpão, na madrugada de terça-feira (21), em Coari. No total, foram apreendidas cinco toneladas de pirarucu fresco e sete toneladas de pirarucu salgado.

O proprietário do barco ao ser questionado disse que o pescado era legalizado e que possuía o guia de transito expedida pelo Ibama. No entanto, a autorização era para o transporte de três unidades de pirarucu, o que não era compatível com a quantidade encontrada no barco.

Ao continuar as buscas na embarcação, a equipe encontrou uma parede falsa e, dentro dela, foram encontrados parte do pescado ilegal que estava condicionado de forma indevida. O barco partiu de Jutaí, distante 749 km de Manaus, e seguia para a capital.

O responsável pelo pescado ilegal foi preso e foi apresentado a Delegacia de Polícia Civil da Base Arpão. O pescado será doado para comunidades ribeirinhas.

Por correr risco de extinção, o pirarucu tem a pesca proibida durante o ano todo, só podendo ser feita em áreas de manejo determinadas pelo Ibama.

Continue lendo

Facebook

Propaganda
Propaganda

Mais Lidas

Copyright © 2021 Portal do Minuto. Todos Direitos Reservados. Portal - Manaus