Conecte-se conosco

Brasil

Sem UTI na cidade, bebê é atendida em leito improvisado com caixa de papelão, no interior de SP

Avatar

Publicado

em

sem leito

Uma bebê 2 meses foi atendida de forma improvisada em uma caixa de papelão em um pronto-socorro de Santa Bárbara d’Oeste, São Paulo, cidade de 180 mil habitantes que não possui na rede pública leitos de Unidade de Terapia Intensiva para crianças.

A imagem da recém-nascida dentro do caixote gerou indignação nas redes sociais, mas, segundo a Secretaria de Saúde, na falta da UTI, a manobra da equipe de médicos e enfermeiros foi o que salvou a vida da criança.

De acordo com a família, a criança chegou ao pronto-socorro com dificuldades para respirar, e os enfermeiros e médicos improvisaram a estrutura para reproduzir o funcionamento de um equipamento de oxigenação. Após o atendimento, a bebê foi encaminhada para a UTI da cidade vizinha Sumaré (SP), onde permanece internada.

Segundo a mãe da criança, Ariany Duarte da Fonseca, de 26 anos, o caso aconteceu na manhã de quarta-feira (27). A bebê Alice Emanuele foi levada ao Pronto-Socorro Afonso Ramos para fazer inalação por recomendação médica. “Aí a enfermeira viu que ela estava forçando muito para respirar e que os sinais vitais dela estavam baixos”, conta.

O pronto-socorro onde Alice estava não tinha UTI Neonatal, e com o quadro de saúde da menina, a equipe de enfermagem resolveu fazer o atendimento emergencial improvisando a tenda usada na UTI para oxigenação.

“Como não tinha lá [a tenda], precisava colocar o dreno. O dreno tinha, mas só de adulto. Eles tentaram cortar e colocar, só que ela estava muito agitada e batia, e ficava saindo”, conta Ariany. “Aí improvisaram tipo uma tenda, que é a caixinha [de papelão], colocaram a mangueira do oxigênio dentro pra ela ficar ali um pouco, pra ela ficar mais calma e ser transportada.”

A mãe conta que ela ficou cerca de meia hora na caixa até conseguir a vaga na UTI pediátrica do Hospital Estadual de Sumaré (SP), e logo depois ela foi transferida para a instituição. A foto da bebê na caixa de papelão foi postada por uma prima de Ariany no Facebook, agradecendo a equipe de enfermagem por ter salvado a vida da criança. Segundo a família, a equipe de enfermeiros fez o que era possível com a falta de estrutura na unidade.

Problemas de saúde

Ariany explica que Alice começou a ter problemas de saúde com 14 dias de vida, quando ao ser atendida pelo médico, foi diagnosticada com rinite alérgica. “Aí ela começou a tossir, a ficar rouca, levava no hospital, falavam que era gripe e fazia inalação. Aí ela começou a piorar e foi quando o médico tirou o raio-X e falou que ela estava com bronquiolite.”

sem leito

Foto: Divulgação

A mãe afirma que, por causa do problema de saúde, ao arrotar depois de mamar, Alice acabou aspirando de volta possivelmente o catarro. A situação causou um quadro de pneumonia no pulmão direito da bebê, segundo Ariany, que fez com que ela tivesse dificuldades para respirar.

Como erro, a mãe culpa a demora para fazer o raio-X e descobrir o problema para ter o atendimento correto. “Quando ela veio a primeira vez [no hospital], a médica disse pra mim que era preciso cinco dias de gripe pra tirar o raio-X. Com cinco dias de gripe ela forçava muito pra respirar. Esperaram ela ficar bem ruim pra poder [ter esse atendimento].”

Alice é a quarta filha de Ariany e faz um mês e vinte dias de vida nesta sexta-feira (29). A bebê continua internada na UTI do hospital em Sumaré, e segundo a mãe, a instituição informou que ela está sendo medicada e precisa aguardar uns dias para a bebê respirar melhor e ter alguma posição sobre o estado de saúde de Alice.

Atendimento no pronto-socorro

Por nota, a Secretaria da Saúde de Santa Bárbara d’Oeste informou que, “diante do quadro e vendo a necessidade de oxigenação limitada da paciente, montou-se um sistema de Tenda de Oxigênio, que prestou pleno atendimento à bebê, suprindo sua necessidade e permitindo sua sobrevida até que a vaga no hospital de referência fosse liberada”.

Sobre a falta de vaga na UTI, a Saúde disse que por se tratar de um pronto-socorro, a unidade não possui UTI Neonatal, e que quando há necessidade deste tipo de atendimento, a vaga é solicitada junto à Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (CROSS) do Estado, que liberou a vaga em Sumaré.

“Dessa forma, como no PS não há UTI, o atendimento de urgência e emergência foi devidamente prestado. Não se trata de mero improviso, mas sim, da realização de uma manobra técnica necessária para a preservação da vida do bebê, num caso fortuito e sem precedentes no município e que, graças ao empenho da equipe, atingiu êxito”, diz a nota.

Quanto ao quadro clínico da bebê, a Saúde disse que ela “chegou ao Pronto Socorro com sérios problemas respiratórios e o diagnóstico inicial foi de Bronquiolite – diagnóstico este que foi também a primeira hipótese da intensivista do Hospital Estadual de Sumaré.”

*Fonte: Portal G1

Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Amazonas

Governadores acertam cota extra da vacina para o Amazonas

Avatar

Publicado

em

Por

Governadores de pelo menos 22 estados acertaram na noite da quinta-feira (21) o repasse para o Amazonas de uma cota extra das vacinas que devem receber nos próximos dias.

Nesta sexta-feira (22), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deve liberar o uso emergencial de mais 4,8 milhões de doses da Coronavac, e 2 milhões de doses da vacina da Astrazeneca devem chegar ao país.

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), participou da reunião de um grupo de trabalho que discute o colapso do sistema de saúde em Manaus e defendeu junto aos governadores, por meio do grupo no WhatsApp, que o Amazonas receba uma parte maior dessas novas doses, devido à “transmissibilidade alta” de casos e à gravidade da situação.

A proposta, segundo Dias explicou ao blog, é que o Amazonas fique com 5% do total de novas doses e os demais estados façam o rateio proporcional do restante.

Fonte: G1

Continue lendo

Brasil

Incêndio atinge prédio do Instituto Serum, fabricante de vacinas contra Covid-19 na Índia

Avatar

Publicado

em

Por

Foto: AFP

Um incêndio atingiu um edifício do Instituto Serum, a empresa da Índia que produz vacinas com tecnologia da AstraZeneca e da Universidade de Oxford, nesta quinta-feira (21), na cidade de Pune. Pelo menos cinco pessoas morreram.

Cinco pessoas morreram no incêndio, segundo o “Times of India”. O prefeito da cidade de Pune, Murlidhar Mohol, disse que os mortos são provavelmente trabalhadores de construção civil que estavam no prédio.

O diretor-executivo da empresa, Adar Poonawalla, confirmou que houve mortes.

A empresa também vai começar a produzir as vacinas desenvolvidas pela empresa norte-americana Novavax.

Poonawalla afirmou que a unidade que pegou fogo produz vacinas para o rotavírus. Ele estima que a perda nessa linha de produção será de até 40% do volume de doses.

O Instituto Serum é o maior fabricante de vacinas do planeta. Lá são produzidas 1,5 bilhão de doses para várias doenças, de poliomielite a caxumba. A estimativa é que seis em cada dez crianças no mundo recebam pelo menos uma vacina fabricada pela empresa indiana.

Nesta semana, a Índia começou a exportar as vacinas produzidas pelo Instituto Serum para seis países, mas não para o Brasil.

Fonte: G1

Continue lendo

Brasil

Falta de oxigênio mata 6 pessoas da mesma família em 24 horas

Avatar

Publicado

em

Por

Em menos de 24 horas, seis integrantes de uma mesma família moradora do distrito Nova Maracanã, da zona rural do município de Faro, no oeste do Pará, morreram com sintomas da covid-19. Bisavó, avó, avô, mãe, pai e um tio não resistiram muito tempo após complicações respiratórias. A Unidade Básica de Saúde (UBS) da comunidade não tinha cilindros de oxigênio em número suficiente.

O município entrou em colapso na segunda-feira (18) por falta de oxigênio. A informação foi confirmada no início da tarde desta terça-feira (19) pelo secretário municipal de Meio Ambiente de Faro, Arthur Brasil. Um sétimo membro da família está internado na UBS também com sintomas de Covid-19.

Diante do aumento do número de casos suspeitos de Covid-19 em Faro, o prefeito Paulo Carvalho (PSD) fez um apelo às prefeituras de municípios vizinhos e também a empresários, e nesta terça recebeu 20 cilindros de oxigênio que serão divididos entre a UBS Morumbi, na cidade, e UBS de Novo Maracanã, que funcionarão como centros de atendimento a pacientes infectados pelo novo coronavírus.

Parte dos cilindros adquiridos em Santarém já foi enviada de lancha para o distrito Novo Maracanã. A operação é acompanhada pelo secretário Paulo Carvalho.

Fonte: G1

Continue lendo

Facebook

Propaganda
Propaganda
Propaganda

Mais Lidas

Copyright © 2020 Portal do Minuto. Todos Direitos Reservados. Portal - Manaus