Home Mundo Internacional Um em cada seis idosos sofreu abuso ao longo de 2017, diz OMS

Um em cada seis idosos sofreu abuso ao longo de 2017, diz OMS

2 Primeira leitura
0
0
60
dados da OMS

Cerca de um em cada seis idosos sofreu tipo de abuso ao longo do último ano, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). O índice representa um total de 141 milhões de idosos em situação de abuso em todo o planeta.

No Dia Mundial de Conscientização sobre o Abuso de Idosos, lembrado nesta sexta-feira (15), a entidade alerta que, caso a proporção de abusos se mantenha, o número de pessoas afetadas deve aumentar rapidamente, em razão do envelhecimento da população, podendo chegar a 320 milhões de vítimas até 2050.

As taxas de abuso em instituições como asilos e instalações que oferecem cuidados a longo prazo, segundo a OMS,  são maiores do que quando eles são mantidos em meio a comunidade – dois em cada três cuidadores reportam ter cometido abusos nesse tipo de instituição ao longo do último ano.

“Enquanto muitas instituições se esforçam para oferecer aos residentes cuidado de qualidade, as evidências sugerem que um número inadequado de cuidadores, condições difíceis de trabalho (exigência física e emocional), baixos salários e treinamento inadequado em direitos humanos das pessoas idosas pode contribuir para o aumento das taxas de abuso em instituições.”

De acordo com a OMS, atos abusivos registrados em instituições incluem:

– Restringir fisicamente os pacientes;

– Privá-los de dignidade (deixando-os vestidos com roupa suja, por exemplo);

– Fornecer cuidados insuficientes de forma intencional (como permitir que eles desenvolvam feridas);

– Medicar em excesso ou não medicar os residentes;

– Negligência emocional e abuso.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação
Carregar mais por Internacional

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

Crianças morrem de fome na pior crise da Venezuela

O bebê Esteban Granadillo, de 18 dias, tem menos de 2 quilos. Salas de emergência ao redor…